Extintores de incêndio: você sabe como fazer o uso correto e evitar desastres?


O conhecimento sobre a utilização dos extintores de incêndio é extremamente importante para a prevenção de acidentes.

Extintores são equipamentos de segurança capazes de controlar ou extinguir princípios de incêndios. Ressaltando que são meios de extinguir princípios, quando o incêndio atinge grandes proporções, o corpo de bombeiros deve ser acionado imediatamente.

Para falar mais sobre esse assunto, o Lance Notícias conversou com Vilmar Goffi, proprietário de um comércio especializado em extintores.

– Os extintores são equipamento usados na área de prevenção à incêndios, mas não devemos esquecer, que eles combatem os princípios de incêndios, não apagam um incêndio que já tomou proporções – disse.

Na última semana noticiamos um incêndio de grandes proporções no município de São Domingos, onde a ação do corpo de bombeiros fez-se necessária.

O fato ocorreu em uma construção de grande dimensão. Nesses casos, conforme orienta Vilmar, faz-se necessário um número maior de extintores locais, além de instrução de uso para os funcionários e pessoas que utilizem o local, para que dessa forma, possa haver um possível controle inicial evitando o pior.

Além disso, outros fatores são importantes.

– A primeira observação quando se faz a compra de um extintor, é a procedência do equipamento, para que seja um produto de qualidade. Isso significa salvar seu patrimônio e as vidas daquele local – destacou.

Além disso, o correto manuseio do equipamento é de suma importância.

– De nada adianta você ter o equipamento e não saber usá-lo. O treinamento vem da própria empresa que lhe fornece o extintor – comenta.

Outro item indispensável, é saber os tipos de extintores e para que servem.

– O extintor mais usado é o de pó químico, utilizado para classe B e classe C. O Extintor de gás carbônico (CO2) também é indicado para classe B e C. E o extintor de água pressurizada que é indicado para a classe A – destacou.

Vamos entender as classes citadas acima:

Classe A

Os incêndios classificados como A são os causados por materiais sólidos, como papel, madeira, tecidos, algodão, madeira etc. A principal característica deste tipo de fogo é deixar resíduos, como carvão e cinzas.

Classe B

São classificados dessa forma os incêndios causados por materiais líquidos, gases inflamáveis ou sólidos que se tornam líquidos. Alguns exemplos são gasolina, querosene, óleo, parafina, tintas, graxas etc.

Classe C

A classificação C é recebida quando há envolvimento de equipamentos elétricos que estejam energizados. Alguns exemplos são geradores, quadros e cabos de força, computadores, transformadores etc.

Classe D

A classe D diz respeito a fogos causados por metais pirofóricos. Ou seja, metais que em partículas finas pode entrar em combustão facilmente. Alguns exemplos são zinco, titânio, urânio e lítio.

Classe K

Os incêndios de classe K são os que ocorrem com incidência de óleo de cozinha e gorduras. Geralmente acontecem com fritadeiras, grelhas, assadeiras, frigideiras e equipamentos onde essas substâncias atingem altas temperaturas. Gostaria de conhecer qual extintor é mais indicado para cada uma dessas situações? Continue nos acompanhando!

– Jamais use extintor de água em parte elétrica. Isso é muito importante observar – destacou.

É necessário conhecer o equipamento ates de utilizá-lo. Importante observar também a validade do equipamento. O extintor de incêndio tem validade da carga de um ano.

– Esteja atento, pois ele pode até estar funcionando, mas se vencido, no fogo não terá efeito algum – finalizou.